IOM

MONITORIZAÇÃO INTRA-OPERATÓRIA (IOM) É RECONHECIDO COMO UM SERVIÇO COMPLEMENTAR IMPORTANTE , QUE ADICIONA SEGURANÇA PARA OS CIRURGIÕES E PACIENTE DURANTE A CIRURGIA.

*O QUE É MONITORIZAÇÃO INTRA-OPERATÓRIA (IOM)?

IOM é a utilizada como assistência clínica e tecnológica ao paciente para detectar e monitorar alterações neurofisiológicas provocadas durante a cirurgia, em nervos que estão sob risco de lesão. Os sensores são colocados sobre o paciente para monitorizar atividade elétrica dos nervos espinhais,medular e cerebral. Um médico neurofisiologista interpreta a leitura de sinais elétricos para detectar lesão iminente ou irritação nervosa.Essa informação é compartilhada com o cirurgião oferecendo uma oportunidade para intervir e evitar danos neurológicos permanentes ao paciente. No Brasil é uma atividade médica,então obrigatoriamente o responsável pela IOM tem que ser médico.

*QUAL É O PROPÓSITO DA MONITORIZAÇÃO INTRA-OPERATÓRIA(IOM)?

IOM é uma medida adicional para garantir o sucesso de um procedimento cirúrgico. O procedimento fornece informações imediata de alteração da condução neurofisiológica do paciente, então a equipe cirúrgica pode responder e reduzir a gravidade dos sintomas de déficits neurológicos no pós-operatório .

*QUAIS SÃO OS BENEFICIOS DA MONITORIZAÇÃO INTRA-OPERATÓRIAS(IOM)?

IOM fornece monitorização em tempo real de um procedimento cirúrgico. Quando as estruturas neurais estão em risco, a IOM altera seus sinais e o neurofisiologista pode alertar o cirurgião dos problemas nos potencias. Esses alertas permitem ao cirurgião reagir ás mudanças e evitar ações que possam resultar em danos neurológicos irreversíveis. Em última análise, a IOM pode reduzir a mortalidade, morbidade e os custos de longo e curto prazo dos danos associados com a cirurgia, incluindo a responsabilidade legal.

*QUAIS SÃO OS RISCOS DA IOM?

Em maior partes dos países, a IOM tornou-se o padrão de atendimento para cirúrgias que colocam em risco estruturas neurais.Os riscos da IOM são mínimas. Cirurgiões recebem aviso prévio dos riscos envolvidos naquela cirurgia em particular em tempo real.

Os cirurgião com conhecimento de possíveis déficits neurológicos e alterações induzidas pela cirurgia indicada, podem com esse procedimento :

1- IDENTIFICAR E EVITAR COMPLICAÇÕES CIRÚRGICAS

2- POTENCIALMENTE DIMINUIR A MORTALIDADE CIRÚRGICA

3- REDUZIR A RESPONSABILIDADE JURÍDICA E CUSTOS DE LONGO PRAZO

4- AJUDAR A PREVENIR COMPLICAÇÕES PÓS-CIRÚRGICOS

5- CIRURGIAS SÃO MAIS EFICIENTES E BEM SUCEDIDAS QUANDO AS PESSOAS CERTAS ESTÃO ENVOLVIDAS E EMPENHADA EM CONSTRUIR UM AMBIENTE DE CONFIANÇA PARA BENEFICIAR O PACIENTE , A EQUIPE CIRURGICA E EQUIPE DA IOM.